17º CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE CIÊNCIAS DO MAR – COLACMAR’2017 COLOCA SAÚDE AMBIENTAL E VIABILIDADE ECONÔMICA DOS OCEANOS COMO PRIORIDADES

27 Nov 2017

 

Diferentes questões ligadas aos oceanos e que envolvem as suas relações com a sociedade, estiveram em pauta no 17º Congresso Latino-Americano de Ciências do Mar – COLACMAR’2017. Entre eles, um workshop das Organização das Nações Unidas – ONU sobre avaliações globais e integrada dos oceanos, realizado pela primeira vez no Brasil, e o 1º Simpósio Brasileiro de Hidrografia Portuária, que com ineditismo e apoio da Marinha do Brasil, debateu aspectos logísticos e operacionais da hidrografia brasileilra. O COLACMAR’2017 foi realizado entre 13 e 17 de novembro, no Centro de Convenções do Hotel Sibara Flat, em Balneário Camboriú, e reuniu representantes de 36 países, além do Brasil.

 

Logo na solenidade de abertura do COLACMAR’2017, o tom entre as autoridades presentes já dava sinais do que viria a ser a semana de congresso. “O COLACMAR é o mais importante congresso do gênero na América Latina, um dos mais respeitados do mundo, e frente às demandas urgentes relacionadas aos oceanos, como tal tem a responsabilidade de viabilizar às nações costeiras o conhecimento necessário sobre diversos aspectos das ciências do mar”, destacou o pesquisador colombiano Néstor Hernando Campos, presidente da Associação Latino-Americana de Pesquisadores em Ciências do Mar – ALICMAR, ao dar início oficial ao congresso.

 

Neste sentido, a contribuição do COLACMAR’2017 foi significativa. Deixou para os anais da comunidade científica centenas de estudos apresentados em painéis e de forma oral, além de minicursos, exposições, conferências, palestras e debates. “Toda a programação foi construída com o objetivo de promover a diversidade de temas proporcionando ampla participação dos congressistas a todo nosso planejamento”, ressalta o presidente do congresso, Fernando Luiz Diehl.

 

Hidrografia portuária em pauta

 

Representando a Marinha do Brasil no COLACMAR’2017, o vice-almirante Marcos Sampaio Olsen, diretor da Diretoria de Hidrografia e Navegação – DHN, destacou os rumos da hidrografia brasileira e ressaltou a data que celebra a Amazônia Azul, um grande território costeiro do Brasil equivalente à área de floresta amazônica.

 

“Estamos todos aqui imbuídos no propósito de realizar debates em torno de uma das maiores riquezas do Brasil, a Amazônia Azul, cuja extensão territorial brasileira corresponde à da Floresta Amazônica e que no dia 16 de novembro foi celebrada como importante área natural, e de conservação necessária, do território brasileiro”, apontou o vice-almirante.

 

A DHN foi correalizadora do 1º Simpósio Brasileiro de Hidrografia Portuária: Aspectos Náuticos e Operacionais, protagonizando debates sobre os usos e o desenvolvimento da hidrografia brasileira. O simpósio reuniu os principais nomes da navegação, praticagem e estudos meteorológicos e hidroceanográficos no Brasil e no mundo.

 

Outros temas

 

Um novo panorama no setor de produção de óleo e gás brasileiro foi destacado durante o COLACMAR’2017. Tratou sobre o descomissionamento ou desativação de plataformas de petóleo. Existem no Brasil cerca de 150 plataformas offshore, e cerca de 15% delas deverão estar em situação de estudos para descomissionamento no período 2017-2020. Empresas operadoras de Petróleo e Gás que já vêm atuando nesta atividade no Golfo do México, na África e no Mar do Norte, tiveram representantes presentes no COLACMAR’2017. Grupos brasileiros de estudos envolvendo Agência Nacional de Petróleo – ANP, IBAMA, Marinha e Petrobras, também marcaram presença. Eles atuam com base a Resolução ANP 27/2006, que trata da desativação de instalações de produção de petróleo.

 

Operações oceânicas também foram foco de reuniões que trataram sobre o grande acúmulo de plásticos nos mares. Para tratar do tema, o congresso contou com a participação do oceanógrafo Regis Pinto de Lima, coordenador-geral de Gerenciamento Costeiro no Ministério do Meio Ambiente. Ele é representante brasileiro em fóruns de discussões internacionais sobre o descarte de lixo nos oceanos e também coordena grupos de trabalhos no Brasil para a avaliação global dos oceanos.

 

O desenvolvimento de tecnologias para ambientes costeiros, marinhos e oceânicos, e o mercado de trabalho para as ciências do mar, também estiveram presentas na extensa programação debatidos durante os cinco dias de congresso.

 

Próxima edição

 

O Congresso Latino-Americano de Ciências do Mar – COLACMAR se despede de Balneário Camboriú nesta sexta-feira, dia 17. Mas a Associação Latino-Americana de Pesquisadores em Ciências do Mar - ALICMAR, responsável pelo evento, permanecerá na cidade pelos próximos dois anos. Atendendo ao seu estatuto, ao fim de cada congresso ocorre a substituição do presidente da entidade. Toma posse o presidente da última edição do congresso realizado. No caso, o oceanógrafo Fernando Luiz Diehl será o novo presidente da ALICMAR até a realização do 18º COLACMAR, já confirmado para ser realizado na cidade de Mar Del Plata, na Argentina.

 

“É sempre uma responsabilidade muito grande conduzir uma entidade com o respeito que dispõe a ALICMAR em todo o mundo, mas já ocupamos esta atribuição em outras ocasiões e contamos com forte envolvimento dos parceiros latino-americanos, para viabilizar as ações necessárias para a promoção do conhecimento das ciências do mar em nosso continente”, diz Fernando Diehl.

 

O COLACMAR é uma realização bianual da ALICMAR e neste ano foi realizado em parceria com a Associação Brasileira de Oceanografia – AOCEANO, a Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e a Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI, e apoio da Marinha do Brasil, através da Diretoria de Hidrografia e Navegação – DHN.

 

Em breve, nas plataformas da ALICMAR e da AOCEANO, será publicado o livro de resumos do congresso, importante adendo ao acervo da comunidade científica internacional. 

 

Por enquanto, confira o acervo de fotos do 17º COLACMAR na página da AOCEANO no Facebook. As imagens são do fotógrafo e jornalista David T. Silva.

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

UMA ANÁLISE SOBRE AS MANCHAS DE ÓLEO NAS PRAIAS DO BRASIL, POR RONALD BUSS DE SOUZA, OCEANÓGRAFO, PESQUISADOR TITULAR DO INSTITUTO NACIONAL DE PESQUIS...

November 28, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Segunda a Sexta  8h - 12h

                              14h - 18h

ENDEREÇO

Avenida Rui Barbosa, nº 372, Sala 04

Bairro Praia dos Amores

Balneário Camboriú, SC

CEP: 88331-510

aoceano@aoceano.org.br

Tel. fixo: (47) 3367-2202 Cel: (47) 9 9686-9867

Associação Brasileira de Oceanografia

CNPJ 90.221.151/0001-62

 

  • Black Instagram Icon
  • Facebook Basic Black